Solo 

é um sistema poroso, composto de uma parte sólida e outra vazia. A vazia é ocupada por água e ar. A sólida é composta da parte mineral 

- areia e argila 

- e da parte orgânica, que são as plantas e os animais que morrem e se decompõem. 


A rotação de culturas é fundamental para manter a produtividade do solo. Esse procedimento fornece à terra o equilíbrio desejado, com o cultivo alternado de no mínimo quatro o culturas sucessivas.


 

 CUIDADOS COM A TERRA

O solo respira e tem sede. É vida para as plantas, animais pequenos, como vermes, e outros maiores, como as minhocas e os gongolos. Esses animais, ajudam a manter a vida do solo fazendo túneis para a entrada do ar e da água; transformando restos de vegetação e de animais em adubo para a terra; ajudando a planta a se alimentar, prendendo-se em suas raízes.


TIPOS DE SOLO

Para que o solo possa proporcionar vida aos animais e às plantas, deve ser bastante arejado ou com numerosos pequenos canais e dar condições às raízes para que elas penetrem profundamente e cresçam abundantes.

ACIDEZ DO SOLO

A acidez do solo é um problema comum a quase todas as regiões brasileiras, e a tendência, se não for corrigida, é ampliar-se sobretudo nas regiões de solos arenosos sujeitos a altas precipitações e cultivos intensivos.

CALAGEM


Para corrigir a acidez do solo deve-se colocar um copo (a cada 2 anos) de calcário dolomítico por metro quadrado, espalhando-o uniformemente e incorporando-o a uns 15 centímetros do solo - este calcário só terá efeito após 2 ou 3 meses, mas isso não impede o plantio imediato no canteiro. As plantas mais resistentes à acidez são a berinjela, batata-doce, abóbora, pimentão e nabo.


EROSÃO

É a perda do solo pela água da chuva ou pelo vento. A erosão é muito prejudicial ao solo e devemos a todo custo evitar que ela ocorra. Começa levando as camadas superficiais do solo onde a maior parte das raízes se alimenta e onde existe mais vida. Sabemos que há erosão quando:

Observamos danos na vegetação, com o aparecimento de manchas de solo nu e pequenos sulcos; 

-Nos morros é comum aparecerem voçorocas, que são desmoronamentos de terra que começam em pequenos sulcos e se transformam em grandes rachaduras; 

-Podemos ver falhas na plantação, parecendo que esquecemos de jogar sementes em alguns lugares; 

- Ha o aumento de pragas e doenças;

-As raízes das nossas culturas não penetram muito fundo; 

-Rios e córregos, em época de chuva, têm cor de barro, 

Ao chover nos morros, a água desce por caminhos feitos por ela ou por agricultores que não plantaram em curva de nível.