ORQUÍDEAS DE DIFICIL CULTIVO:

Embora não se possa dizer que haja plantas de cultivo mais fácil ou mais difícil, costuma-se por simplificação e para facilitar a iniciação, listar plantas de fácil cultura e difíceis de cultivar. Segue uma relação de orquídeas brasileiras segundo essas características:

Origem do Nome: Existem 02 espécies no Brasil. Na mitologia, Acacallis era a ninfa amada por Apollo, com quem teve dois filhos amamentados por uma cabra.






 DICAS DE JARDINAGEM - ORQUÍDEAS - Manejo 

PLANTIO E CULTIVO DE ORQUÍDEAS

Quase todas as orquídeas têm uma fase de crescimento e uma fase de repouso.  A fase de repouso começa no final do outono e vai até o fim do inverno. Durante a fase de crescimento (tem início na primavera até o final do verão) a planta tem que ser regada e adubada com maior frequência. Não há uma regra fixa para isso, em geral só se rega quando a planta estiver quase seca. É importante estar atento a fim de evitar que o vaso seque completamente, ocasionando danos às raízes, que poderiam ser queimadas pelo efeito dos minerais retidos no substrato em função de repetidas adubações. 

ADUBOS - Todo adubo contém Nitrogênio(N), Potássio(K) e Fósforo(P), e algumas vezes Calcio(Ca), que são conhecidos como macronutrientes. São fundamentais, também, para o desenvolvimento das plantas os micronutrientes, dentre eles o ferro, manganês, boro, molibdênio e zinco.

O adubo pode ser orgânico - estrume, farinha de osso, mamona - ou inorgânico, produzido industrialmente pela combinação de elementos químicos.É sempre importante misturar mais de um adubo orgânico, como por exemplo: misturar à torta de mamona em partes iguais, farinha de osso, de ostra e cinza de madeira. A vantagem do uso dos inorgânicos é o conhecimento da quantidades de elementos que estamos aplicando. Os três tipos mais usados são:


 
N
P
K
Alto teor de Nitrogênio
30
10
10
Balanceado
20
20
20
Baixo teor de Nitrogênio
10
20
30

No inicio do crescimento da planta o nitrogênio é fundamental. É necessário usar um adubo com o teor de nitrogenio de 30:10:10:.

SEMEADURA DE ORQUÍDEAS

- EM ÁRVORES:
  • Limpe bem o tronco. Envolva cerca de 1 metro dele com um saco de estopa com malha grossa. Amarre-o fortemente com um fio plástico;
  • Molhe bem esse saco com água, de preferência destilada (de farmácia), durante uma semana;
  • Retire da planta-mãe a ponta de algumas raizes (cerca de 5 cm) portadoras do fungo micorrizo. Macere-as bem num pilão de madeira, adicionando um pouco de água destilada;
  • Regue toda a estopa com esse material. A seguir, semeie pequena quantidade de sementes em cima dessa estopa;
Dentro de alguns dias você irá verificar a germinação das sementes. A germinação e a quantidade que vigorará variam muito, dependendo da fecundidade e do poder germinativo das sementes. Esse método não pode ser feito de abril a agosto , nem em época de muita chuva.

SUBSTRATOS E VASOS:
  • O tipo de substrato depende do tipo de orquídea. Uma epífita não se adaptaria num vaso com substrato muito fechado, já uma terrestre provavelmente morreria se amarrada num palito de xaxim. 
  • O substrato deve reter umidade sem ficar enxarcado durante muito tempo e tem que ser capaz de manter a planta firme, pois uma planta que fica solta nunca terá raízes saudáveis.
  • É recomendável o uso de fibra de xaxim, dada a sua facilidade de uso. Recomenda-se, também, jogar o xaxim num balde com água para dispersar o excesso de pó, que se decompõe muito rápido, ocasionando o apodrecimento das raízes. Pode-se utilizar musgo, para aquelas plantas que gostam de mais umidade. 
  • Utilize um vaso com espaço menor possível. um vaso grande demais vai acumular água causando apodrecimento das raízes. O vaso deve ter furo, ou furos, para drenagem.  A orquídea tem que ser envasada quando a planta estiver grande demais para o vaso, ou quando o substrato ficar velho. 
  • A planta só deverá ser reenvasada quando a fase de crescimento começar, pois do contrário, pode resultar no enfraquecimento e morte da planta. O ideal é reenvasar sempre que a planta comece a lançar novas raízes e antes que estas cresçam muito.
  • Quando proceder a divisão da planta, tenha certeza de conservar, no mínimo, 4 pseudobulbos, para possibilitar a floração seguinte.
DICAS DE PLANTIO

A maior parte das orquídeas pode ser plantada em vasos de barro ou plástico, cujo tamanho deve ser o menor possível. Vaso grande pode reter demais a umidade, causando apodrecimento das raízes.

O Plantio deve ser feito quando a planta estiver emitindo raízes novas, o que se percebe pelas pontas verdes, não importando a época, inverno ou verão. Quando for dividir a planta, a muda deve ter no mínimo três bulbos, tendo-se o cuidado de não machucar as raízes vivas, o que se consegue molhando-as, pois ficam mais maleáveis.

Algumas orquídeas soltam mudas novas pelas laterais (Vanda, Renanthera, Rynchostylis e outras). Nesse caso, deve-se esperar que a planta emita pelo menos duas raízes, para proceder a separação da planta-mãe.
  • Coloque uma camada de pedra no fundo do vaso ( 2 a 3 dedos) para permitir a rápida drenagem do excesso de água.
  • Complemente com xaxim desfibrado . É importante não haver pó no xaxim. Comprima bem o xaxim para firmar a planta. Se necessário, coloque uma estaca para melhor sustentação.
  • Algumas orquídeas dificilmente se adaptam dentro de vasos. Nesse caso, o ideal é planta-las em tronco de árvore ou casca de peroba ou palito de xaxim, protegendo as raízes com um plástico até a sua adaptação.
  • Deve-se molhar não só as raízes mas também as folhas com água adubada bem diluída.