Fisiologia é a ciência que se propõe a explicar todos os processos da vida por meio de princípios da física e da química. 

Um dos objetivos básicos é a determinação da natureza química precisa de todos os materiais encontrados na planta e o caminho que ela segue para obtê-los ou faze-los. 

A unidade básica das plantas (assim como a dos outros seres vivos) é a célula, sendo a célula vegetal diferenciada da dos animais. 

Tais células encontram-se agrupadas por uma substância cimentante, e interligadas por canais que transportam água e alimento de uma célula para outra.

FATORES QUE AFETAM A FOTOSSÍNTESE: 

Intensidade luminosa, temperatura e concentração de gás carbônico no ar. Por exemplo, em uma planta mantida em um ambiente com temperatura e concentração de CO2 constantes, a quantidade de fotossíntese realizada passa a depender exclusivamente da luminosidade.





Educação a Distância
Educação a Distância

 

 PLANTAS MEDICINAIS - Fisiologia Vegetal

NÚCLEO - contém a informação genética com as características que serão transmitidas às descendentes; 

CITOPLASMA - meio de consistencia viscosa onde se processam os processos bioquimicos.

MEMBRANA CITOPLASMATICA - rodeia a célula filtrando as substäncias que devem permanecer em seu interior. Nos seres vegetais, as células apresentam características diferentes das animais: 

A membrana celulósica é como um invólucro que protege e isola, e continua existindo mesmo apos a morte da celula. Diferenciam-se, dessa forma, das celulas animais, por estarem envoltas por essa espessa membrana, que contém cloroplastos cheios de clorofila. Dessa forma, a celulose ( também conhecida como fibra vegetal), juntamente com a clorofila são substancias representativas do reino vegetal. 

Os plastos, outras das peculiaridades das células vegetais, são corpúsculos localizados no citoplasma que contém corantes. Os mais comuns são os cloroplastos assim chamados por estarem cheios de clorofila.

 UMA DICA: Para acelerar o processo de enraizamento de uma muda, aquelas que são provenientes do caule, pegue os rizomas da tiririca, batendo-os no liquidificador. Coloque o caule nesse suco até que ele fique enraizado.

VARIEDADE DAS PLANTAS

TAMANHO

O tamanho dos vegetais pode ocilar desde alguns milésimos de milímetros, como os micróbios, até mais de 80 metros, como as sequóias da California. 

Existem mais de 300.000 espécies de plantas, que apresentam grande diversidade de formas e tipos de vida. Essa diversidade reflete as adaptações das plantas para sobreviverem nos mais variados habitats: os cactos capazes de sobreviver nos desertos, as briófitas que se fixam ao substrato através de rizóbios (não possuem caules, folhas ou raízes verdadeiras); até as gigantescas sequóias que podem chegar a centenas de anos. 

Algumas plantas vivem na água, outras em regiões secas ou desérticas, outras em regiões frias (framboesa), em lugares quentes (alfazema). 


DURAÇÃO - a vida dos vegetais tem duraçao variável: vai de minutos (algumas bacterias), alguns dias - grama e outras ervas ou o abeto que pode chegar a 800 anos. 


ESTRUTURA - os vegetais mais simples -Protófitos- possuem uma única célula, de dimensão microscópica. Por exemplo, a espirulina. 

OsTalófitos são vegetais cujo corpo ou talo é formado por uma massa de múltiplas células pouco diferenciadas. Exemplo disso são as algas, fungos e líquens. Os Fungos comestíveis são os cogumelos, também conhecidos como champignons. Certamente você já os viu à venda em supermecados ou nas feiras. Esses fungos têm alto valor nutritivo, pois apresentam altas taxas de proteínas. Mas não são todos os cogumelos que podem ser comidos. Alguns são altamente venenosos. 

Os vegetais superiores, vulgarmente chamados plantas, ou Cormófitos são formados por milhões de células, (cerca de 70 ou 80 tipos diferentes), cada um destes tipos especializados em realizar determinadas funções, formando assim os diferentes órgãos: raiz, caule, folhas, flores, etc...




PARTE DAS PLANTAS

RAIZ - é o órgão encarregado de extrair do solo os elementos necessários (sais minerais, e água) e de bombeá-los para as folhas para proceder a alimentação da planta. De um modo geral, todas as plantas produzem e armazenam em sua raiz hidratos de carbono, no entanto, algumas produzem também alcalóides (ipecacuanha), glicosídeos (equinácea) ou vitaminas (cenoura).


RIZOMA - é um caule subterrâneo com aparência de raiz que cresce horizontalmente. Também acumula glicídeos e outros princípios ativos.

BULBO - é uma dilatação subterrânea do caule, formado por numerosas camadas superpostas. Encontram-se neles substâncias sulfuradas (alho, cebola), aromáticas (açucena) ou alcalóides.

TUBERCULO - é um caule subterrâneo especializado em armazenar substâncias de reserva.


CÓRTEX - é a camada que cobre o caule e a raiz.

CAULE - Serve de comunicação entre a raiz e o resto da planta. Pode ser herbáceo ou lenhoso. Usa-se a madeira por sua essência (cânfora, cipreste, guaiaco, quássia).

BROTO - é um esbôço de um fututo ramo. Nele pode conter resinas e essências.

FOLHAS - são por excelência o laboratório químico das plantas. Nela se dá a fotossíntese e é onde se produz a maior parte das dos princípios ativos das plantas. As folhas podem ser simples, como visto abaixo e compostas. Veja também as partes das folhas.

FLORES - Órgão de reprodução sexuada das plantas superiores (fanerógamas). Possuem folhas coloridas, distintas em cálice (externas) e corola (internas), formando, em conjunto, o perianto, os estames (produtores das células masculinas) e de gineceu (gerador das células femininas). As flores podem ser: hermafrodita (com ambos os órgãos sexuais), masculina (se leva apenas estames) e feminina (quando possui somente gineceu).