Carl von Linné (1707-1778), "Pai da Taxonomia"

Em 1753 o naturalista e botânico sueco Carl von Linné introduziu, mundialmente, o método de nomenclatura e classificação de plantas chamado sistema Binomial. Esse método atribui dois nomes a cada espécie, ou seja, o primeiro corresponde ao gênero e o segundo à espécie propriamente dita.


O CICLO DAS PLANTAS

Anual - São aquelas que germinam, crescem, florescem, frutificam, produzem sementes e morrem em no máximo um ano.

Bienal - São aquelas que se desenvolvem vegetativamente no primeiro ano e se reproduzem e morrem no segundo. 

Perenes - São as que vivem vários anos e florescem em cada um deles, ou seja, as partes aéreas morrem todos os anos sobrevivendo unicamente os rizomas ou as raízes. 

AS FAMÍLIAS DAS PLANTAS
Vários gêneros similares entre si são agrupados em uma família. As famílias que possuem caraterísticas semelhantes, são agrupadas em ordens e estas em classes. Vejamos algumas famílias:
Compostas (Asteraceae)
É a maior família botânica. compreendendo cerca de 20.000 espécies, divididas em 1100 gêneros. Representantes dessa família são reconhecidas pela inflorescência em capítulo e que podem ser herbáceas, arbustivas, trepadeiras e excepcionalmente arbóreas. Mas a maioria é de pequeno porte. São encontradas em regiões tropicais, subtropicais e temperadas, vegetando nos mais diversos habitats. Como exemplo, podemos citar : estragão, a arnica, camomila, artemísia e aquiléa.

Labiadas - Características: Plantas em geral herbáceas, eretas e de caule quadrangular. Inflorescências variadas. Corola sempre labiada. Compreende cerca de 3.200 espécies, provenientes principalmente do Mediterrâneo e Oriente, embora existam em diferentes partes do globo. Fazem parte desta família o alecrim, hortelã, manjericão, melissa, manjerona, orégano, sálvia, segurelha, tomilho, rubim, chissô, entre outras, ervas das mais utilizadas na culinária e medicina caseira. O odor característico de grande parte da floração desta família atrai abelhas.
Litráceas- (Lythraceae) Características: Plantas herbáceas ou lenhosas, arbustivas e até arbóreas. Folhas simples e geralmente opostas. Principal característica dessa família é que as pétalas apresentam um aspecto amarrotado, têm unhas longas e estão inseridas no bordo do cálice.

A Organização Mundial de Saúde - OMS, define como planta medicinal, todo vegetal que contenha em um ou mais de seus órgãos, substâncias que possam ser utilizadas com finalidade terapêutica. 
Dos 
medicamentos atualmente produzidos, cerca de 25% têem 
componentes químicos de plantas.

Nossa flora tem 
cerca de 120 mil espécies vegetais, de aplicações 
terapêuticas tradicionais, onde as ervas têem 
grande emprego. 


Propriedades 
da Alcachofra
Diurético, remineralizante, tônico e regulador das 
funções hepáticas e biliares. O chá das folhas é tônico, 
preventivo e curativo das afecções do fígado. É diurética 
e combate o reumatismo, a diabete, arteriosclerose, 
colesterol, hipertensão, tireóide, afecções de pulmões, 
doenças de pele e asma. É desaconselhável durante 
a gravidez e lactação.
Educação a Distância
Educação a Distância


 PLANTAS MEDICINAIS - Propriedades das Plantas Medicinais

O NOME DAS PLANTAS

Os nomes vulgares podem variar de país a país, ou de uma localidade para a outra, porém os nomes latinos atribuidos por Linné continuam fixos. Observe, no exemplo do Tanaceto, também conhecido como catinga-de-mulada.

Em algumas espécies figura após o nome científico da planta a letra L. ("ele" maiúsculo seguido de ponto) em homenagem àquele botânico.

AS ESPÉCIES E SUAS VARIEDADES 

As variedades que uma mesma espécie podem apresentar são conseqüência do tipo de terreno onde cresce, do clima e das possíveis hibridações ou cruzamentos que tenham sofrido. A sua composição química é a mesma para todas as variedades, mas podem existir diferenças na concentração dos princípios ativos. Assim,por exemplo, a dormideira que se cria nos países do Oriente Médio e da Ásia produz mais morfina que a Européia. 

O GÊNERO

As espécies parecidas entre si agrupam-se em gêneros. Por exemplo, a papola (Papaver rhoeas L.) e a dormideira (Papaver somniferum L.) pertencem ao mesmo gênero Papaver. Ambas produzem alcalóides similares, embora os da dormideira sejam mais ativos.

PROPRIEDADES DAS PLANTAS

Nossa flora tem cerca de 120 mil espécies vegetais, de aplicações terapêuticas

AFRODISÍACAS - Aumentam o desejo e a capacidade sexual. Em outras palavras, essas plantas tonificam e revitalizam o organismo. Exemplo: cebola, hortelã-pimenta, pimenta-do-reino, segurelha, Baunilha, Gengibre, Cálamo-aromático, caneleira, açafrão, Genciana, Ginseng, Damiana, Sálvia, Alecrim.

ANAFRODISÍACAS - Diminuem o desejo sexual. Exemplo: lúpulo, alface-brava, canforeira, lírio-d'água, sabugueiro-bravo.

ANTIBIÓTICAS - Possuem ação antibiótica: alho, bardana, cebola, pulsátla, rabanete, rábano, drósera, urva-ursina.

ABORTIVAS  - São plantas tóxicas que devem ser evitadas durante a gravidez. Exemplo: losna, açafrão, agrião, aloés, boldo, buxo, cafeeiro, cáscara-sagrada, romanzeira, salsa, sálvia, sene-da-índia, tanaceto. 

ANTIESPASMÓDICAS - Impedem os espasmos dos órgãos ocos (estômago, intestinos, canais biliares e urinários, útero) controlados pelo sistema nervoso vegetativo. Exemplo: alfazema, angélica, anis-estrelado, arruda, artemísia, avenca, camomila, cominho, aneto, erva-cidreira, funcho, hortelã-pimenta, limoeiro, loureiro, manjericão-roxo, manjerona, mil-folhas, orégano, maracujá, poejo, pulsátila, sálvia, segurelha, tília, valeriana, verbasco, verbena, verônica-macho. 

ANTIDIARRÉICAS - São plantas que estancam as diarréias, agindo por um ou por vários mecanismos (adstringente, absorvente, anti-séptico, anti-espasmódico intestinal). Exemplo: cenoura, verbena, gerâneo, chá-preto, murta, segurelha, graveioleira, amieiro, castanheiro, macieira, morangueiro, tomilho.

ADSTRINGENTES - Constringem e retiram a umidade da pele e mucosas. Exemplo: Alfazema, Cardo-Santo, Camomila, espinheira-santa, eucal ipto, ipê-roxo, limão, malva, casca de romã. 

BALSÂMICAS - De ação suavizadora do aparelho respiratório. Exemplo: Alfazema, Cipestre, eucalipto, copaiba, guaiaco, manjerona, hipérico, tomilho.

BRONCO-DILATADORAS - Dilatam os brônquios. Exemplo: Tussilagem, visnaga, éfedra, assa-fétida.

CALMANTES - Exemplo: Alface, Cidreira, Gatária, Maracujá, Melissa, Rosa-branca, Tília, Valeriana.

CICATRIZANTES - Exemplo: Alecrim, Babosa, Calêndula, Cardo-Santo, Guaçatonga, Mil-Folhas, Rubim, Tanchagem.

COLERÉTICAS - São plantas que aumentam a quantidade de bile segregada pelo fígado.   Exemplo: Tília, oliveira, hortelã-pimenta, alcachofra, Fel-da-terra, boldo, rabanete, dente-de-leão, genciana, quássia, cavalinha, graviola, cáscara-sagrada, calêndula, artemísia, alecrim, mil-folhas, aloés.

COLAGOGAS - São plantas que facilitam o esvaziamento da bílis contida na vesícula bíliar para o duodeno. Exemplo: Tília, oliveira, hortelã-pimenta, alcachofra, Fel-da-terra, boldo, rabanete, dente-de-leão, genciana, quássia, cavalinha, graviola, cáscara-sagrada, calêndula, artemísia, alecrim, mil-folhas, aloés.

DEPURATIVAS- São plantas que facilitam a eliminação, através da urina ou do suor, de substâncias residuais que circulam no sangue e que tendem a despositar na pele. Exemplo: Bétula.

EMÉTICAS - São plantas que provocam vômito com a finalidade terapêutica. Usam-se para esvaziar o estômago em caso de intoxicação acidental (envenenamento) ou de indigestão. Exemplo: Ásaro, ipecacuanha, condurango, fitolaca.

EXPECTORANTES- São plantas que exercem ação sobre as vias respiratórias, ajudando a expulsar o catarro dos canais bronquiais. Exemplo: Altéia, eucalipto, guaco, malva, parietária, orégano, rabanete, sálvia, tília.

ESTIMULANTES- Exemplo: alecrim, alho, hortelã, mangericão, rabanete, salsa, sálvia, tomilho.

GALACTAGOGAS - Facilitam a secreção de leite nas mulheres que amamentam. Exemplo: Urtiga-maior, aneto, alcarávia, cominho, anis, galega.

HEMOSTÁTICAS-Detém as hemorragias, tanto dos órgãos internos como dos externos. Exemplo: hamamélis, tanchagem, videira, mil-folhas, cavalinha

HIPOTENSORAS - Exemplo: alho, limão, sabugueiro, sete-sangrias.

LAXANTES - São plantas que facilitam a evacuação sem exercer função irritante no organismo. Exemplo: Oliveira, alfafa, zaragatoa, amor-perfeito, sabugueiro, dente-de-leão, tamarindeiro, beldroega, aspargo, malva . 

NARCÓTICAS - São plantas que provocam sono profundo diferente do sono natural. Exemplo: erva-moura, doce-amarga.

PEITORAIS - São plantas que atuam sobre as afecções do aparelho respiratório. Exemplo: girassol, cebola, papoula, rabanete.

PURGANTES - São plantas que facilitam ou aceleram o trânsito intestinal geralmente acompanhada de irritação do intestino. Devem ser usadas com prudência e recomenda-se uma consulta médica prévia para descartar alguma oclusão intestinal mecânica (tumor, volvo, torção intestinal, etc,) como causadora da prisão de ventre. Neste caso, essas plantas são contra-indicadas. Exemplo: Sene-da-índia (folhas e sementes), cáscara-sagrada (casca), aloés (sumo das folhas)

VERMÍFUGAS - Exemplo: Alho, semente de abóbora, hortelã, erva-de-santa-maria, quássia, feto-macho. 

SALICÍLICAS - São plantas que constituem uma alternativa natural à aspirina e outros fármacos analgésicos ou antiinflamatórios. Exemplo: Amor-perfeito, calêndula, macieira, morangueiro, pulmonária

SEDATIVAS -São plantas que acalmam a excitação do sistema nervoso e têm ação equilibradora/reguladora do sistema nervoso central e vegetativo. Exemplo: Alfazema, aveia, cálamo-aromático, erva-cidreira, laranjeira, limoeiro, lúpulo, maracujá, tília, valeriana, verbena.

DIURÉTICAS - Apresentam uma ou várias das seguintes ações medicinais:  Natriurética ou diurética sódica: quando facilitam principalmente a eliminação de ais sódicos como cloreto de sódio (sal comum). São ricas em potássio. São recomendadas especialmente em caso de Hipertensão arterial, edemas, afecções cardíacas e curas de emagrecimento (dieta associada a tratamentos naturais). Exemplos: cenoura, visco, cebola, pulmonária, alcachofra, fumária, ananás, macieira, piteira, grama, cardo-penteador, parietária,feijoeiro, quaresmas, milho, aspargo, bardana, cavalinha.

  • Clorúrica: quando aumentam a eliminação de água e de diversos cloretos (sódio, potássio, amônio, etc). As plantas que exercem esta ação são diuréticas de uso geral. Exemplos: cafeeiro, giesteira-das-vassouras, cipreste, rainha-do-bosque, gálio, dente-de-leão, ananás, grama, aipo, urva-ursina, bétula, sete-sangrias. 
  • Uricossúrica ou diurética úrica: quando atuam eliminando ácido úrico pela urina. São empregadas como depurativas em caso de gota ou artritismo (reumatismo de origem úrica). Exemplos: dente-de-leão, cardo-santo, piteira, cana-do-reino, bétula, cardo-penteador, morango, zimbro.
  • Diurética : quando facilitam especialmente a eliminação de uréia, que ao lado do ácido úrico, é um dos resíduos tóxicos do metabolismo das proteínas. Usam-se as plantas diuréticas sobretudo quando existe um certo grau de insuficiência renal. Exemplos: cana-do-reino, barosma.
  • Oxálica e fosfatúrica: quando favorecem principalmente a eliminação, pela urina, de oxalatos e fosfatos, respectivamente, que costumam ser os causadores das areias e dos cálculos renais. Exemplos: Alcachofra, bétula, cardo-corredor.