A goiaba tem grande valor nutritivo, principalmente pelo seu alto teor de vitamina C, importante no combate às infecções, hemorragias, fortalecimento dos ossos e dentes, cicatrização de cortes e queimaduras. 

Possui também vitamina A, boa à vista, conserva a saúde da pele e das mucosas e auxilia no crescimento e, vitamina B1, que ajuda na regularização do sistema nervoso e aparelho digestivo, tonificando, ainda, o músculo cardíaco. Contém também sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro que contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue.

De preferência, a goiaba deve ser consumida ao natural, quando conserva todos os seus princípios nutritivos, principalmente a vitamina C.

Para conservar goiabas, o melhor é limpá-las e guardá-las na geladeira, pois se estragam com facilidade. Quando não são consumidas logo, começam a ficar passadas. Mesmo assim, servem para fazer deliciosos doces. 

Em boas condições, as goiabas se conservam por uma semana na geladeira. Seu período de safra vai de janeiro a maio.



 

 POMAR DOMÉSTICO - Tratos Culturais

Deve-se manter o pomar limpo, sem ervas daninhas, principalmente no período seco. Pode-se fazer o coroamento, próximo à planta e roçar o mato entre as linhas. Elimine, sempre que necessário, a concorrência com as plantas em umidade e nutrientes ou sirva de abrigo para algumas pragas. Aconselha-se, não amontoar os restos da capina ou outros resíduos no tronco das plantas, que favorecem o aparecimento de prodridão nessa região, que pode matar as plantas.

.COMBATENDO AS PRAGAS DO POMAR


É muito grande o número de pragas e doenças que atacam as plantas frutíferas, comprometendo não só a qualidade da produção mas até mesmo a vitalidade da planta. Dentre as "pragas" mais comuns, destaca-se as formigas, especialmente as cortadeiras. 

Nesse caso, então, deve-se tomar os cuidados:

Preventivo - consiste em fazer uma mini-saia com pedaço de plástico grosso ou plastico, amarrando-o ao tronco da muda.



Químico - É feito com o auxílio de "iscas granuladas" à base de dodecacloro, espalhadas ao longo do carreiro das formigas.

 APLICAÇÃO DE INSETICIDAS 


Aplicam-se os inseticidas líquidos por meio de aparelhos denominados pulverizadores, de que existem vários tipos, desde a seringa borrificadora até grandes aparelhos tirados por animais ou motores.

Para que se tenha o máximo de êxito no combate aos insetos e fungos, é necessário lançar os líquidos formando uma espécie de nevoeiro que cubra todas as partes vegetativas das plantas com uma camada fina, aderente, do inseticida ou fungicida, sem escorrer pelas folhas e troncos. Para um pequeno pomar, o mais das vezes, é suficiente aparelhos de pressão média, que o operador carrega no dorso, sendo muito comum entre nós o tipo Vermorel.

Estes aparelhos têm a capacidade de 10 a 15 litros e desenvolvem uma pressão de 8 quilos. Em se tratando de árvores altas, é indispensável usar pulverizadores de maior pressão (10 a 20 quilos), montados sobre carreta, e de bomba movida a braço, com mangueira e uma lança.

Convém proceder às pulverizações logo que as plantas estejam enxutas do rocio da noite, ou da chuva. Se após uma pulverização sobrevierem chuvas dentro da primeira hor, convém repetir a operação.

MOSCA DA FRUTADA (Drosophila melanogaster)

A drosófila é uma mosca que comumente pode ser encontrada próximas a frutas. O tipo mais comum é o chamado selvagem, que apresentam o corpo na cor marrom, os olhos na cor vermelha e asas normais. Outros tipo de drosófilas menos comum são as denominadas mutantes, pois apresentam alguma variações em relação as características encontradas nas drosófilas selvagens, ou seja, possuem olhos vermelhos e corpo marrom, porém não voam (asas vestigiais).

Para combate-las:

Utilizam-se armadilhas (garrafas de plástico incolor), encontradas no mercado. No interior da garrafa colocam-se 100 cm3 de uma solução atrativa, que pode ser obtida pela mistura de 70cm3 de melaço (pode ser substituido pelo açúcar mascavo ou cristal). É feito uma garapa com a fruta do pomar que se pretende proteger, e, a uma diluição de 25% em água, ou vinagre a 10% de diluição. 

As garrafas são fechadas e presas às plantas por meio de argolas feitas com arame passado uma ou duas voltas em seu gargalo, logo abaixo do bocal. Devem ficar protegidas dos raios solares, utilizando-se uma garrafa por planta.


OUTRAS DOENÇAS

ANTRACNOSE - Ataca ramos, folhas, flores e frutos. As folhas apresentam manchas escuras de tamanho e contornos irregulares formando áreas necrosadas. As inflorescências apresentam flores enegrecidas e caem. Nos frutos, surgem lesões irregulares envolvendo a casca com manchas pardas deprimidas que atingem a polpa. Surge principalmente no período chuvoso. O controle é preventivo com pulverizações iniciadas antes do florescimento e prosseguindo até alguns dias antes da colheita. As plantas mais atacadas são Abacate Anona Mamão Manga Maracujá Videira.

FERRUGEM - Aparecem pústulas arredondadas, recobertas de massa pulverulenta amarela ou parda na página inferior das folhas e nos frutos. O controle é feito com pulverizações de fungicidas. As plantas mais atacadas são ameixa, figo, goiaba, jabuticaba.

FUSARIOSE - Doença de natureza vascular. Inicialmente apresentam murcha das folhas nas extremidades dos ramos, que posteriormente se generaliza por toda a planta, vindo em conseqüência um amarelecimento e posterior secamento de toda a parte aérea, produzindo aborto de flores e não vingamento dos frutos. Rotação de culturas, fiscalização da lavoura e e erradicar e destruir as plantas atacadas são algumas forma de controlar essa doença que ataca muito o maracujá. 

GOMOSE (Phytophthora) - O fungo ataca os troncos, raízes e ramos das árvores. Na região afetada, a casca se rompe e deixa escorrer um líquido de coloração parda. Formação de goma no fendilhamento da casca. Quando há um ataque em toda a periferia do tronco, a planta morre por estrangulamento.
Para controla-la faça o plantio alto, capinas cuidadosas, evitando ferir o tronco e raízes. Promover maior arejamento do tronco ao nível do solo. Em árvores afetadas, raspar a parte doente e pincelar a ferida com pasta bordalesa. Evitar excesso de umidade, adubo orgânico e nitrogenados.  Abacate Citrus Mamão são bastante afetadas por essa doença.