As doenças mais comuns nas hortaliças são causadas por fungos, bactérias e vírus. As ocasionadas por fungos, deixam as plantas manchadas de cinza, marrom, branco ou preto. 
Os únicos produtos indicados para a utilização em hortas caseiras são os feitos à base de cobre e enxofre por possuírem pouca toxicidade.
Mas além da pulverização semanal, deve-se retirar as plantas com sintomas de doenças.
Ocorrendo ataque de pragas, fique bem atento e veja ao lado, algumas das pragas mais comuns e algumas dicas de combate.

Quando utilizada adequadamente, a rotação de cultura resulta 
em benefícios tanto na produção quanto na manutenção das 
fertilidade do solo, diminuindo os problemas com pragas, 
doenças e plantas daninhas.

 


Uma grande área com plantas da mesma espécie, pode facilitar o surgimento e o rápido desenvolvimento de pragas e doenças, e mesmo depauperar o solo, visto que há concorrência pelos mesmos nutrientes.


A necessidade de suplementação dos nutrientes do solo no cultivo de hortaliças é obrigatória, e a falta dela, está diretamente relacionada ao ataque de pragas e doenças.


O plantio consorciado de duas ou mais espécies reduz o risco de pragas. Essa modalidade de plantio, no entanto, não deve ser feita sem que se saiba os efeitos dessa consorciação.

TIPOS DE PRAGAS

FORMIGAS

Talvez o mais terrível inimigo da horta, a formiga saúva e em certos lugares a formiga quemquém. Estas duas formigas cortadeiras, são eficientemente combatidas (veja em dicas de jardinagem) com uma série de formicidas: sulfureto de carbono, brometo de metila e outros que se encontram no comércio e cujas bulas, que acompanham o produto, explicam o modo de usar. Para pequenas áreas, o melhor remédio é fazer o controle preventivo, com meios mecânicos, impedindo que as formigas cheguem até as folhas das plantas.


 As Lagartas proliferam-se com rapidez e se alimentam das partes aéreas da planta. Para combatê-las, recomenda-se a remoção manual ou com uma pinça. No caso de não conseguir localizá-las, basta revolver a terra em volta da planta para que fiquem expostas ao sol.

Combate - pulverizar a planta infectada - Dissolver 10 gramas de fumo de rolo e 100 gramas de sabão de coco em 20 litros de água fervente. Deixe descansar por 12 horas e pulverize os locais afetados.

LAGARGA ROSCA - Encontradas embaixo do solo a uns 10 cm de profundidade, elas podem ser pegas com uma isca bem fácil de fazer. Isca: misture 100 gramas de açúcar, 100 gramas de pó de arroz e 5 gramas de inseticida DIPEL (biológico). Vá adicionando água até criar flóculos. Aí é só espalhar a isca em volta da planta atacada.

CARAMUJOS, LESMAS E TATUZINHOS

É comum que estes pequenos animais frequentem a horta, mas se houver desequilíbrio podem causar muitos danos à horta.
Isca:espalhar pedaços de chuchu ou abóbora pela horta, para atraí-los e depois pegá-los. Latas de pouca espessura contendo sal e cerveja também são bastante atraentes para estes pequenos insetos.


VAQUINHAS 
São emelhantes a um besourinho, sendo que uma das principais tem a coloração verde e amarela. 
Combate: Extrato de Pimenta - bater 500 gramas de pimenta e dois litros de água no liquidificador até a maceração total. Coar e misturar sabão, acrescentando por fim os 2 litros de água restantes.

ÁCAROS
São parecidos com carrapatos, só que bem menores, podendo ser enxergados somente com o auxílio de uma lupa. Os principais são os ácaros vermelhos, os ácaros brancos e os rajados. Considerando ciclo biológico de uma semana, a ausência de controle natural e a produção de 50 fêmeas, em quatro semanas cada ácaro (fêmea) pode dar origem a mais de seis milhões de ácaros.CombateCalda de fumo com sabão - basta adicionar sabão à calda de fumo comum e pulverisar na folhagem.

COCHONILHAS

São pontinhos brancos ou avermelhados, que sugam as folhas e talos das plantas até acabar com a seiva.
Emulsão de óleo: leve 1 kg de sabão picado, 8 litros de óleo mineral e 2 litros de água ao fogo até levantar fervura. Mexa até virar uma pasta, que pode ser armazenada para futuras aplicações. Na hora de pulverizar a emulsão, dissolva a pasta em água morna e misture o equivalente a 300 gramas para cada 20 litros de água fria.

PULGÕES

É muito difícil fazer catação manual, a melhor maneira de combatê-los é pulverizando inseticidas naturais. Calda de fumo: pique 20 gr de fumo de rolo, coloque em 1 litro de água e deixe ferver durante meia hora. Coe em pano fino e dilua a mistura em 4 litros de água. Depois é só pulverizar sobre as plantas, em especial nas partes afetadas pelos insetos.

Nematóides: São “parentes” das lombrigas e atacam pelo solo. As plantas afetadas apresentam raízes grossas e cheias de fendas. Num ataque intenso, provocam a morte do sistema radicular e, conseqüentemente, da planta. Algumas plantas dão sinais em sua parte aérea, mostrando sintomas do ataque de nematóides: as dálias, por exemplo, podem apresentar áreas mortas, de coloração marrom, nas folhas mais velhas.
Algumas plantas superiores produzem um número considerável de substâncias químicas ativas, também chamadas de aleloquímicos, capazes de influenciar a germinação, crescimento e desenvolvimento de outras plantas. Esta interferência é denomada alelopatia. A ação destes aleloquímicos não é muito específica, podendo uma mesma substância desempenhar várias funções. Sob o ponto de vista agrícola, estudos dos efeitos alelopáticos e a identificação de plantas que os possuem, torna-se assunto de grande importância, tanto na utilização de cultivares capazes de inibir plantas daninhas, quanto na determinação de práticas culturais, como na rotação de culturas, cobertura morta e outras. 
Segundo os pesquisadores, as substâncias alelopáticas liberadas por uma planta, poderão afetar o crescimento, prejudicar o desenvolvimento normal e até mesmo inibir a germinação de outras espécies vegetais.